Miriam Ribeiro escolhida para a segunda suplência de Alexandre Almeida

“A presença da professora Miriam na nossa chapa é contemplar a família, a educação, o empreendedorismo, o trabalho, a religião, a ética e a decência”, assinala o candidato.
A Constituição Federal, no seu artigo 46, parágrafo terceiro, determina que cada senador será eleito com dois suplentes. No caso do candidato a senador Alexandre Almeida (PSDB), a segunda suplência será ocupada por uma mulher de Imperatriz: a educadora Miriam Ribeiro. Ela foi convida por Alexandre e com o aval do presidente de honra da legenda na cidade, o ex-prefeito Sebastião Madeira, aceitou o convite.
Natural de Tutum, Miriam Ribeiro mora há anos em Imperatriz. Foi comerciária, bancária, tornou-se professora e anos depois junto ao marido Alberto Ribeiro fundou uma pequena escola na periferia da cidade, sendo hoje, de acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB, uma das melhores escolas do Maranhão. Ela tem forte militância social, cristã, empresarial e política em Imperatriz. Na eleição passada, foi candidata a vice-prefeita e atualmente preside o Diretório Municipal do PSDB. Além disso, foi secretária do Desenvolvimento Social na gestão do então prefeito Madeira.
Para o deputado estadual e candidato a senador Alexandre Almeida, ter a presença da professora Miriam na sua chapa é mais do que reconhecer a importância da mulher na política. É contemplar a família, a educação, o empreendedorismo, o trabalho, a religião, a ética e a decência. “São valores muito bem identificados na personalidade dela. Também é uma forma de valorizar Imperatriz e toda a região tocantina, pois sendo importante na vida econômica e social do nosso Estado, merece ter protagonismo na política do Maranhão”, declarou o candidato.
As regras para a candidatura dos “senadores suplentes são as mesmas do titular constante na Constituição Federal, ou seja, ser brasileiro, pleno exercício dos direitos políticos, domicílio eleitoral no Estado que vai representar, filiação partidária e idade mínima e ter, quando da posse, 35 anos de idade. No caso de Alexandre Almeida, ele fará 35 em setembro, sendo o mais jovem candidato a disputar uma vaga para o Senado em 2018. (Assessoria)
 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *