Manifesto de um aluno universitário que não quer ser da esquerda

Manifesto de um aluno universitário que não quer ser da esquerda

É isso mesmo o que vc leu. Sou aluno de uma universidade pública federal de um Curso de Humanas. Você não sabe o que é isso aqui dentro. Vejo algumas matérias de intolerância, mas nada se compara.

Aqui tem frase feminista que diz: morte aos machos. Aqui o laicismo é só para religião cristã, porque as outras religiões e seitas são, inclusive, incentivadas pelos professores.

Se alguém questionar algo, é o racista e intolerante. Aqui você tem que fingir que é a favor do PT, caso contrário eles não sentam com você no refeitório, não pegam o mesmo elevador, ficam lhe xingando, perseguem, falam absurdamente que você é algum “Ista” só e puramente porque você não concorda com eles.

Me diga, cidadão, isso é liberdade de pensamento?

Tem mais, ele fazem sexo ali na sua frente. Usam o termo hétero como xingamento. Você será um homofóbico se não concordar com eles.

E os professores. Ah esses são os melhores. Falam do Karl Marx como se ele fosse o Batman. O socialismo é ótimo, não para eles, com carrões, apartamento em área nobre e filhos estudando no repressor Estados Unidos.

O pior é o que vou relatar agora, que foi o que me motivou a escrever esse manifesto. Os alunos criaram um filtro para o Facebook, no qual eles colocam uma foto e abaixo tem escrito “desaparecido”. Eles dizem que é para simular como será os perfis se a ditadura voltar. Pois, segundo eles, muitos vão sumir.


Eu achei isso tão absurdo e cheguei a conclusão de que quem quer a ditadura são eles.

Você já percebeu que quem mais fala da ditadura é a esquerda? Eles tem um fetiche por esse assunto. Parece até que querem viver isso. Parece que eles têm um desejo de ser herói, mas aquele herói martirizado. Não percebem que estamos em outro tempo. Eles não frequentam as aulas.
Ganham discussão no grito. Se montam um debate, todos os presentes concordam entre si. Se você ousar, sugerir pensar algo diferente. Tá frito, amigo.

Querem dar aula de história sobre o Facismo. Daí quando você fala que o Facismo surgiu com a esquerda eles gritam, esbravejam, mas nada de argumento.

Não leem nem o nome do ônibus, decoram o número.

Eles têm um desejo de ser diferente. 3 meses depois que entra um aluno na faculdade, ele já se veste, fala, se comporta igual aos outros. Cópias que repetem o mesmo discurso.

Falam que sofrem repressão. Daí quando você vai analisar o caso, na verdade ele transgrediu uma regra civil, foi punido e acha que ainda sofreu abuso.

Isso que vi são, apenas, 6 meses de universidade.

Precisamos urgentemente fazer com essa repressão e doutrinação acabe. Ou vai continuar sendo uma máquina de zumbis repetidores de jargões e que funcionam a base de maconha.

Não posso assinar. Queria poder dizer isso abertamente, mas vivemos numa ditadura de pensamento esquerdista.

Socorro!

(texto da rede social sem assinatura, com medo de ser perseguido em sua faculdade.)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *